Início / Art / Livros / O Poderoso Chefão Corporativo

O Poderoso Chefão Corporativo

Ciao paesano, tire a pizza do forno e vá buscar mais azeitonas e salamitos, mas cuidado esse post possui um elevado grau de ideologias italianas, capisce ? va bene, va bene, non ci posso credere! Assista primeiro book trailer.

O poderoso Chefão Corporativo

Em uma das minhas voltas aos sebos de Porto Alegre, ( sim  muitas vezes prefiro livros usados pois quase sempre gosto dos clássicos e não só por isso, livros antigos possuem aquelas capas dura, todos muito lindas, sem falar dos poemas que se encontram neles e as partes grifadas, tudo de uma beleza espontânea, aleatória em si, vou parar por aqui pois isso daria um post completo ) e em uma dessas idas, minha mãe me mostrou um livro, chamado “ O Poderoso Chefão Corporativo “ ( Mob Rules), confesso que vi com um olhar de desprezo pois imaginava que seria um desses pastichos, mas disfarcei meu olhar, pois segundo Kant a intenção da ação de minha mãe era boa, sendo que sempre citávamos frases de mafiosos em nossas conversas, mas mesmo assim ignorei pois sempre tento beber direto da fonte, e não algo diluído de algum clássico.

Minha mãe comprou mesmo assim, então um dia olhei para o livro na estante e resolvi dar uma chance para ele, pensei: ” talvez eu tenha me equivocado”.

Bom o livro não era nada do que eu pensava, bem no começo na sua apresentação Louis Ferrante conta um pouco da sua história e de sua carreira no crime na família Gambino e de seu crescimento na mesma desde garoto de recados até chefão de seu bando, conta que nunca foi pego cometendo um crime, mas devido a informantes confidenciais resultaram em várias investigações e enfim sua prisão.

Ele deixa bem claro que nunca entregou nenhum parceiro, e por isso mesmo que foi sentenciado a 12 anos e meio de prisão na penitenciária de segurança máxima  de Lewisburg, na Pensilvânia. Na prisão viu que o crime era um erro, e decidiu mudar de vida, e foi lá que começou a ler seu primeiro livro no qual conta que não foi nada fácil devido ao seu vocabulário escasso entre outras coisas, mas depois de ler o seu primeiro livro não parou mais, lia até seus olhos doerem.

Louis Ferrante na prisão leu tanto que conseguiu reverter uma das acusações federais e foi libertado depois de cumprir 8 anos e meio, a essa altura já hávia aprendido a arte de escrever, assim escrevendo seu próprio livro.

Ao sair da prisão Ferrante, sonhava com seu mundo lícito, mas constatou que isso não passava de fantasia, e logo encontrou sacanas na sociedade legal muito piores do que boa parte dos mafiosos que conhecia.

Ferrante-01

Ferrante-02

Ferrante-03

Ferrante-04

Ilustrações: Samuel Rodrigues para a revista Época.

Conclusões Finais

O bom do livro é que ele é totalmente verdadeiro, e nele Louis Ferrante faz uma comparação entre a corporação Mafiosa e a corporação empresarial, citando desde as suas raízes romanas.

O-Poderoso-Chefão-Corporativo

Sobre Rodrigo Jacques

Alguns dizem que sou Narcisista, mas na verdade não sou... Até me identifico com um personagem Grego, mas não o Narciso e sim Zeus.